O Lagar

 

 

Zona de Receção:

A azeitona é rececionada à entrada do lagar onde é selecionada em função do seu estado de maturação e conservação.
Entra no processo de limpeza, num desfolhador que lhe retira os ramos e folhas. Em seguida, passa para o lavador, onde é lavada com um jato de àgua. Por fim, passa para um vibrador onde é eliminada a àgua da azeitona. Vai à balança onde é pesada e registada a sua entrada no processo de extração do azeite.
Em função da seleção efetuada é colocada num dos 7 tegões, existentes, onde fica a aguardar a laboração.
As folhas e ramos retirados neste processo, são destinadas ao alimento dos animais, nomeadamente ovelhas e vacas, ou para compostagem , para adubar novamente as oliveiras.

 

Zona de Laboração:

É nesta fase que o "ouro" é obtido. Todos os equipamentos utilizados neste processo de extração do azeite são feitos em aço inoxidável. A azeitona é triturada em moinhos de martelos e transformada em massa (pasta), é bombeada para as batedeiras onde durante cerca de 30 minutos, é aquecida até uma temperatura máxima 30ºC. A pasta quente é bombeada para o decanter, onde por um processo de centrifugação é separada a gordura (azeite) dos outros liquidos mais densos e dos sólidos. A partir daqui há dois destinos diferentes para estes dois produtos:
Azeite: o azeite segue por meio de outra bomba para o processo de lavagem, onde numa centrifuga com a mistura de àgua a uma temperatura controlada inferior a  30ºC, o azeite é lavado para retirar impurezas que ainda lhe restem.
- Se o azeite obtido for resultado da azeitona comprada pela empresa, este segue para os depósitos (cubas de inox), situadas na zona de armazenamento, onde aguarda o processo de embalamento.
- Se o azeite obtido for resultado dos serviços de laboração prestados a clientes, o azeite é depositado em Vasilhas (embalagens) dos próprios e por eles são transportados para as suas casas.
Todo este processo é contínuo e automatizado, onde a intervenção do operador é supervisionar o processo produtivo.


Bagaço: o bagaço obtido segue por meio de um sem-fim para o exterior da zona de laboração, onde depois é bombeado para um tegão onde está colocada uma outra máquina (desencaroçador) que lhe retira e separa para outro tegão o caroço da azeitona já seco.
O bagaço destina-se às fábricas de extração de óleo de azeitona.
O caroço da azeitona é utilizado em caldeiras de aquecimento central e de àguas para consumo, de habitações, fábricas, aviários e outros recintos fechados. Este mesmo sistema de aquecimento é utilizado pela nossa empresa.

 

Zona de armazenamento/Embalamento

O azeite obtido é depositado em cubas de inox, ficando a decantar, onde por um processo natural se separa de quaisquer outros elementos sólidos ou liquídos (devido à diferença de densidade).
Nesta fase existem duas opções:
- Filtrar o azeite para o embalar ou embalar sem filtrar.
A opção de o filtrar pode ser efetuada querendo apresentar um azeite mais brilhante e cristalino ao consumidor, embalando sem o filtrar apresenta-se um produto com um aspeto mais natural ao consumidor.
Qualquer um dos processos é correto, não altera a qualidade nem as características do produto, simplesmente o aspeto é alterado.
De acordo com as características do azeite, assim é feito o embalamento, rotulagem e acondicionamento, nos diferentes tipos de embalagens (ex: garrafões, garrafas e caixas).